fbpx

Arquivos mensais - maio 2019

Os 5 principais mitos do SEO

Há uma tonelada de deturpação por aí sobre marketing digital em geral, e especificamente SEO. Como a Otimização de Mecanismo de Busca é algo que muitas pessoas não compreendem (ou não querem aprender), ficam atordoadas ou não conseguem acompanhar, muitas vezes é algo que é facilmente distorcido por supostos “especialistas”.
Não se preocupe, hoje a CadastrandoWeb vai te dar uma força, pois já tem mais de 12 anos de mercado e estudos na área. Vamos aprender os 5 principais mitos de SEO que ainda estão flutuando na web e faz você perder um precioso tempo.

  1. WWW vs não WWW é importante.
    Cada proprietário de site tem a decisão de decidir se o seu site terá na URL “www” ou perder totalmente o “www” . Embora existam algumas diferenças nominais em ambos, o Google declarou formalmente que não há benefícios de SEO de um sobre o outro. O importante é lembrar que, depois de selecionar qual deles você deseja, fique coerente com essa versão. Você pode escolher sua parcialidade no Google Search Console. O importante é ter uma versão de site segura (https) acessível e predominante em sua versão tradicional não segura (HTTP).
  2. Você tem que preencher a Meta-Tag Keyword
    Se você olhou para o back-end do seu site para fazer seus Meta Títulos e Descrições Meta, você deve ter notado que algumas plataformas não disponibilizam mais o campo “Meta Tag Keyword”. Estes costumavam ser muito importantes para SEO e muitos “especialistas” em SEO ainda acham que têm peso, principalmente em lojas virtuais. Embora, em atualizações recentes, o Google tenha proclamado que, por causa da variedade de palavra-chave (que é quando um site está ocupado com palavras-chave que podem ou não se relacionar à página), a Meta Tag Keyword não têm nenhuma relação com as classificações de pesquisa do Google. Como dissemos antes, você pode preenchê-los se quiser, mas como eles não fazem diferença alguma, qual é o objetivo?
  3. O URL deve ser rico em palavras-chave
    Ainda há debate entre muitos especialistas em SEO sobre a criação de um URL com muitas palavras-chave nele. Aqui está meu exemplo – criar URLs longos e ricos em palavras-chave pode realmente prejudicar, em vez de ajudar sua marca. A análise mais recente mostra que os 10 principais resultados no Google têm URLs confiáveis com menos de 37 caracteres. Além disso, depois de examinar uma seleção aleatória de 30.000 domínios, eles descobriram que aqueles com uma palavra-chave em sua URL não eram melhores do que aqueles que não tinham.
  4. Redirecionamentos 301 não faz você perder rankeamento
    Quando alguém digita um URL na barra superior, ele é direcionado para um website. Cabe a nós informar à internet em qual site queremos levar alguém quando digitarem nosso URL. Existem alguns métodos para fazer isso. Os dois mais populares são o Mapeamento de Domínios e o redirecionamento 301. O Mapeamento de Domínio é quando você adquire uma URL de uma loja externa (exemplo: Registro.BR) e deseja vinculá-la totalmente ao seu site. Durante esse processo, você está alterando as configurações de DNS e de hospedagem para que seu URL seja conectado diretamente ao seu site. Os URLs redirecionados 301 não são mapeados e não têm o mesmo peso para o SEO. Estudos recentes confirmam que domínios redirecionados perderam relevância e Pagerank.
  5. Você deve usar a Autoria do Google
    É muito fácil, a Autoria do Google não existe mais, por isso, não se incomode em tentar. O Google Authorship foi um teste do Google que tentava vincular o conteúdo gerado ao seu perfil do Google+. Depois de vários esforços, nunca pegou, e o Google desabilitou o recurso. Você ainda pode ver alguns artigos de SEO desatualizados falando desta solução. Se fizer isso, ignore-a e siga em frente.
Leia mais